Doce Amargo



A caminhada

O sol queimava a cabeça desprotegida, os cabelos suados do calor que fazia sobre a cidade e o sorriso estampado no rosto. Era a personificação da felicidade mascarada, da alegria inventada. Tinha o coração pesado , lábios entreabertos, mãos calejadas e os olhos tão lindos porém tão sem vida.
Sofria, mas continuava a sorrir e tinha esperança, era ela que a mantinha de pé todos os dias, eram a esperança e o sonho as razões de ter força para continuar viva.
Assim, continuava a caminhar…

Anúncios

Trackbacks & Pingbacks

Comentários

  1. * Vahallam says:

    Nossa que poema lindo, você tem criatividade.
    Adorei…

    Beijos

    | Responder Publicado 7 years, 5 months ago
  2. * Lusinha says:

    Porque, na verdade, não podemos parar.
    Bjitos!

    | Responder Publicado 7 years, 5 months ago
  3. * says:

    Go ahead!

    ;**

    | Responder Publicado 7 years, 5 months ago


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: