Doce Amargo


Category Archive

The following is a list of all entries from the Pensamentos soltos category.

Se machucar é inevitável

Há os que digam que você pode evitar e que o sofrimento é opcional. Mas você convive com pessoas. Pessoas diferentes de você, com julgamentos e ações diferentes, com percepções e bagagem de vida diferentes da sua. Pessoas que eventualmente vão te machucar, quer você queira ou não, quer elas queiram ou não.
É natural, as pessoas não são completamente boas ou más, isso só existe em contos de fadas. Somos um misto de coisas boas e ruins e julgamentos errôneos, egos inflados, carência aguda e atos impulsivos, em resumo, somos humanos. Completamente cheios de defeitos de fabricação.
Seu coração vai se despedaçar e você vai sair juntando os caquinhos tantas vezes que vai perder a conta. Vai doer, o chão vai se abrir, o peito vai ficar apertadinho e você vai tirar uma lição e vai amadurecer um pouquinho por isso. Cada passo em falso, cada queda ou tropeço servem pra nos deixar mais atentos e eventualmente mais fortes.
Mas é inevitável, você vai se decepcionar com as pessoas, vai tomar as dores delas e muitas vezes vai se sentir sozinho na hora que precisar que alguém tome as dores por você. Vai chorar no travesseiro, vai se fechar e depois de um tempo, vai passar.
E você vai aprender que na vida é assim mesmo, você não vai viver 100% do tempo feliz, a grama nem sempre tá verdinha e aguada, mas o mundo não precisa acabar por isso, não é mesmo?


.

Ironia é passar a vida se escondendo atrás de armaduras, castelos e fortalezas imaginárias e chegar alguém e se apaixonar exatamente por essa ilusão.


Ensolarado dia chuvoso

Há a tela em branco e as ideias fervilhando na cabeça. Os sentimentos finalmente entraram em harmonia e todas as palavras querem sair da boca ao mesmo tempo. As lágrimas secaram e o tempo resolveu contrariar, então, chove. E enquanto chove eu escrevo… talvez seja apenas pra aliviar a dor passada e lembrar que a vida pode ser bela, contrariando o tempo feio que está fazendo nessa cidade antes tão ensolarada mas que deixava uma impressão sufocante de calor. Provavelmente era minha cabeça que enlouquecia e o coração apertava, sufocando tudo por dentro e os dias mais bonitos de sol acabavam se transformando em dias molhados de lágrimas e inusitadamente chove muito, mas nunca estive tão ensolarada.


Sobre as mudanças…

E num segundo a vida dá um giro de 180º e tudo fica de cabeça pra baixo, mudam os ângulos de percepção das coisas e fica complicado pra se acostumar e com isso vem o sofrimento da tentativa e a frustração da falha, do erro.
Pensamentos de que não conseguiremos seguir em frente e que as coisas serão piores vêm frequentemente à cabeça, mas devemos respirar fundo e  continuarmos a vida, sempre.
Às vezes questionamos tanto essas mudanças que não damos chance de aproveitar o que elas podem nos trazer de bom.


Pra não dizer que não falei das flores…

Porque tem dias que as músicas falam mais do que a gente pode:

Vem vamos embora,
que esperar não é saber.
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer…
Caminhando e cantando e seguindo a canção!

Sabe quando as coisas vão se organizando devagarinho?
Pois é… a vida anda bem mais ou menos, mas a esperança tá por aqui, de novo.

To completamente sem inspiração pra escrever meus devaneios por aqui, mas as mulherzices estão todas lá no ChatFeminino


Lack of something.

Sabe o que acontece? É a confiança exacerbada nas pessoas, e não adianta, quebrar a cara depois de milhões de vezes ainda dói muito, principalmente quando pessoas adoram pedir favor e não te consideram o suficiente pra te incluir nas coisas.
Soa infantil, eu sei, mas dói.  Dói pela falta de consideração. Não adianta desculpas esfarrapadas, continua doendo…


Hoje

O sol hoje amanheceu mais amarelo, as flores do jardim estavam mais vermelhas e a grama mais verde. O dia realmente estava bonito. Hoje foi um dia quente, muito quente, até dor de cabeça senti quando fui ao banco resolver umas coisas de gente grande. Passei o dia fazendo as coisas de sempre.
No fim do dia encontrei as amigas pra bater aquele papo e comer mcdonalds.
Agora estou aqui no computador e percebi, hoje, não pensei em você.


Sobre a amizade

Eu sempre fui uma pessoa intensa e nas minhas amizades não é muito diferente, aprendi a ser mais maleável e acabar me mostrando mais para aquele(a) que me estende à mão amiga. Boba eu sei, que acabo me estrepando mais que os sábios que se retraem e ficam ali, na retaguarda, esperando o momento certo de se doar.
Sou emoção, sou dedicada e fiel, sou besta sim, gosto de ver os amigos felizes, me faz feliz, verdadeiramente feliz.
Amizade é uma mão estendida, é um olhar de compreensão, é um abraço apertado e um sorriso sincero. É estar ali ao lado daquela pessoa sem precisar dizer nada, é a cumplicidade em sua forma mais bonita.
É dificil encontrar amigos verdadeiros nesse mundo de falsidades, mas espero que eu tenha encontrado os meus, mesmo que tenham todos os defeitos do mundo. Porque todos nós temos defeitos não é?!

ps. ultimamente tenho escrito demais posts com o título “sobre alguma coisa”, e creio que passarei um bom tempo fazendo posts nessa linha, encontrei essa forma de expressar minha visão sobre certas coisas da vida.

E ah, o Chat Feminino voltou! \o/ Feliz isso ^^


Sobre o doce e o amargo de ser…

Nunca fui encaixada no estereótipo de menina doce e meiga, sempre tive uma cara de abusada, de menina  esnobe que tem poucos amigos. Com o passar dos anos fui amolecendo mais o coração e aprendendo que precisamos dos outros para viver, em assim sendo, tornei-me mais doce, mais gentil e bem mais sorridente.
Mas nunca perdi meu lado abuso, meu lado stress, neurótico, nervoso, amargo.
Talvez eu tenha criado uma casca dura, uma imagem de pessoa chata e arrogante para não deixar transparecer meu lado bobo, infantil e estupidamente crédulo.
Eu sou assim, sou um misto de sensações díspares e fatos desconexos. Sou extremamente melosa e exageradamente arrogante ao mesmo tempo.
E ser assim me proporciona os melhores e os piores momentos da minha vida; proporciona as lágrimas de alegria e de tristeza.
Traz o sabor doce e levemente amargo que é o viver.


Sobre a minha relação com as palavras

Aprendi a usá-las desde cedo, sempre fui muito influenciada pela minha mãe a ler e com isso tomei gosto pela escrita. Me perdia nas histórias e sempre que encontrava palavras diferentes, tentava encontrar seu significado afim de melhorar ainda mais meu vocabulário. Com o passar dos anos, aprendi a domá-las e a usá-las ao meu favor, a fazer com que as pessoas acreditassem naquilo eu que eu dizia. Fiz das palavras as minhas maiores aliadas.
Uso-as demasiadamente, claro, como todos. Falo muito, escrevo mais ainda e decidi seguir uma carreira a qual elas serão uma grande arma, o bom uso delas me farão uma advogada melhor, disso eu não tenho dúvida.
Mas ultimamente as palavras teimam em brincar comigo, em fugir nos momentos que mais preciso delas. Eu, ando sem palavras. fato.